Rádio Educadora
Está Tocando Agora

FERRO VELHO

Com DJ Luidy até as 20:59
NOTÍCIAS

Postado em: 08/04/2024 às 11:06
0 Visualizações

Acontece nesta segunda-feira (8) em Curitiba Julgamento do Delegado acusado de matar esposa e enteada em 2020


Foto:

O delegado Erik Busetti, acusado de matar a esposa Maritza Guimarães de Souza, e a enteada Ana Carolina de Souza, começa a ser julgado nesta segunda-feira (8) no Tribunal do Júri em Curitiba.

O crime aconteceu em março de 2020, Erik está preso desde então .Maritza tinha 41 anos e era escrivã da Polícia Civil, a filha dela tinha 16 e era estudante. Elas foram mortas na própria casa.

Segundo a polícia, uma filha de 9 anos do casal estava dormindo no quarto no momento do crime e ouviu os disparos. Câmeras de segurança registraram o crime. 

As investigações apontaram que o delegado disparou pelo menos sete vezes contra a esposa e seis contra a enteada.

Erik Busetti está preso no Complexo Médico-Penal em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, desde os assassinatos. Ele foi preso em flagrante e admitiu o crime para dois policiais militares. No interrogatório, Busetti preferiu ficar em silêncio.

O delegado foi denunciado pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) por duplo feminicídio. As promotoras apontam que Ana Carolina e Maritza não puderam se defender.

No caso do assassinato de Maritza, também incide a qualificadora de motivo torpe porque, segundo a acusação, ele não aceitava os termos do fim da relação.

O casal estava junto há cerca dez anos e estava em processo de separação pelo menos um ano antes do crime, conforme o relato de testemunhas e familiares.

Dias antes de ser denunciado pelo Ministério Público, Busetti foi indiciado pela Polícia Civil por duplo feminicídio com incidência de aumento de pena por ter cometido o crime próximo da filha de nove anos.

A menina estava no quarto dormindo, mas, de acordo com a delegada responsável pelas investigações, estava muito próxima e acordou com os disparos.

A criança não ficou ferida e foi levada para a casa de um vizinho pelo próprio acusado após o ocorrido.

Fonte:G1Paraná / Foto: Arquivo/RPC



Compartilhe essa Notícia